A Arte do Horsemanship e da Equitação do Vaquero da região do Great Basin, é uma filosofia que faz parte de uma cultura.

Existe uma diferença muito grande entre um verdadeiro Horseman e um cavaleiro comum. Os horsemen são pessoas que nutrem uma grande preocupação com o passado e são orientados por princípios fundamentais e não por metas e objetivos.

As historias dos antigos Califórnios, não são historias para serem contadas como lendas. Revive-las é a referencia fundamental para se repensar novas direções. Eles sabem que para o seu cavalo ser excepcional ele precisa de habilidades excepcionais.

Diferente do cavaleiro comum que também examina o seu passado, mas o passado pessoal. Suas metas e objetivos precisam ser alcançados a qualquer custo. Na verdade, ele acredita que encontrar um atalho para o seu problema é o melhor que pode fazer. Ele não tem sustentação. É como uma arvore sem raiz. Por que, está sempre se referindo a procedimentos testados, regras e passos a serem seguidos que na verdade, estão completamente desconectados dos princípios fundamentais do horsemanship tradicional.

Aprender a ser um horseman nos proporciona compreender o cavalo de uma forma completamente nova. Muito mais emocionante e sofisticada. A sofisticação nesse caso não é apenas mais uma complicação, mas simplesmente a aplicação daquilo que Tradicionalmente se chama de “A Arte de Disciplinar e Montar a Cavalo”, percebendo que quando terminamos uma sessão, o nosso cavalo está ali conosco, com uma moldura mental gostosa e mais do que isso, está inteiro, dentro de toda a sua essência, pronto para amanhã.

Os velhos Mestres Califórnios eram pessoas extremamente praticas e diziam que para seguir os caminhos tradicionais do horsemanship, é preciso muita criatividade, por que nesse caminho nada é tão claro como gostaríamos que fosse. Nunca se envolviam na elaboração de teorias racionais desconectadas da pratica, trabalhavam em cima da sensibilidade, do auto controle, auto disciplina, paciência, amor, compaixão, e principalmente, tinham uma noção incrível de três elementos fundamentais: Feel, Timing & Balance.

Nunca falavam com os cavalos, mas falavam por eles, isto é sabiam traduzi-los. Sabiam que existe uma área, lá dentro de cada cavalo, onde não existe medo nem resistência, mas sabiam também que dependendo da qualidade dos seus procedimentos, o cavalo, poderia ou não abrir essa área. Sabiam que para um cavalo permitir ter a sua parte física organizada, ele precisa estar confiando no seu cavaleiro.

Para eles, horsemanship era uma questão de estratégia, acreditavam que compreender o cavalo dessa maneira, era a única forma de cuidar e conduzir as suas emoções. Acreditavam que a única maneira de ampliar o âmbito daquilo que pode ser percebido, é o desenvolvimento do Feel, Timing & Balance, no que diz respeito às habilidades físicas mentais e emocionais de cada um.

Quando estavam trabalhando, o fato da poeira não levantar por causa da falta de ação, como a falta de corcovos, sustos, intimidações e confrontos, desafiava a imaginação dos cavaleiros comuns. Por que na verdade, era muito difícil para eles conseguir VER o que e como aquele homem estava obtendo aqueles resultados.

Perceber confusão se transformar em compreensão, medo em confiança, tensão em relaxamento, resistência em vontade de colaborar, são transformações mentais e psicológicas. O respeito pelo instinto de auto preservação é o grande veiculo da dinâmica dessas mudanças durante o Programa de Escolarização de uma Cavalo.

Entendiam que isso só era possível ser cultivado através de sutileza, disciplina, responsabilidade mutua e dedicação. Sutileza, talvez seja a ferramenta mais eficiente no exercício do Horsemanship e da Equitação, mesmo sendo ela um dos exercícios mais difíceis de serem praticados, por que a maioria das pessoas que lidam com cavalos, acredita que é superior ao cavalo.

Acreditavam que só essa pratica seria capaz de construir um cavalo confiante, colaborador, com a musculatura desenvolvida tanto no sentido da flexibilidade como da força. Podendo, dentro de uma moldura mental tranqüila, levantar a sua energia e abaixá-la, quando precisassem.


Texto: Borba
Inspirado: Ecletic Horseman
Publicado: Ecletic Horseman

Blog Projeto Doma
blog
Dudi Rédeas
dudi-redeas
Assine nossa Newsletter